Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘doenças’

por Vitor Oshiro

O carnaval está chegando. Com ela, a mídia aumenta o espaço para campanhas que previnem o excesso do álcool, a incompatibilidade de beber e dirigir e os riscos do sexo sem camisinha.

Porém, um outro problema pode trazer graves prejuízos. O beijo na boca pode ser a porta de entrada de inúmeras doenças.

Pensando nisso, o Portal IG consultou especialistas e trouxe uma lista das enfermidades que podem ser transmitidas por meio do beijo.

PEGA

Gripe suína
Não é porque os casos de H1N1 estão menos frequentes que a doença desapareceu. O vírus da gripe mais temida em 2009 ainda está por aí, fazendo novos casos. E se a transmissão pode ocorrer por meio de um espirro, imagine do que um beijo não é capaz. De acordo com os médicos, o beijo é uma maneira extremamente eficaz de contaminação. Os sintomas da doença são semelhantes aos de uma gripe comum, com febre, tosse, coriza e dores de cabeça e no corpo. Portanto, o ideal é ficar atento. A Secretaria de Saúde do Paraná, por exemplo, em seu último boletim informativo, recomenda que, mesmo no verão, a população siga medidas como a higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel, além de evitar tocar com as mãos nos olhos, bocas e o nariz sem os devidos cuidados de limpeza.

Meningite
De acordo com um estudo realizado por médicos australianos, beijar na boca de múltiplos parceiros aumenta em quatro vezes a chance de pegar meningite meningocócica. A definição de “múltiplos” para os pesquisadores é de sete pessoas em duas semanas. A conta parece até pequena para quem observa a “pegação” do carnaval de Salvador. A transmissão da meningite preocupa os médicos, já que a doença tem uma evolução rápida e pode ser fatal. Os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça, vômitos, diarréia e rigidez dos músculos da nuca, ombros e costas.

Mononucleose
Não é preciso dizer qual a principal forma de contaminação da chamada “doença do beijo”. Como nem sempre a pessoa sabe que tem o vírus Epstein-Barr, já que a mononucleose pode ser assintomática, ela acaba transmitindo a doença a outras pessoas. Nos casos em que há sintomas, os principais são fadiga, dor de garganta, tosse e inchaço dos gânglios. Vale lembrar que o vírus pode ficar incubado de 30 a 45 dias no organismo e não tem cura – a pessoa vai carregá-lo para o resto da vida.

Herpes
Mesmo que no momento do beijo o parceiro não tenha nenhum indício do problema, ele pode ter o vírus causador da doença e transmiti-lo. Depois do contágio, não há cura e a pessoa passa a conviver com o herpes, que pode se manifestar anos mais tarde, geralmente durante fases em que estiver com a imunidade baixa. O herpes pode aparecer como um machucado na boca ou até mesmo em outras partes do corpo.

Cárie
Se você não dá a devida atenção à higiene bucal, pode pegar – e transmitir – cárie através do beijo. Para evitar pegar a bactéria alheia, capriche na escovação e não abra mão do fio dental diariamente, assim você fortalece a sua imunidade bucal e as bactérias não encontrarão um ambiente propício ao desenvolvimento. Dentistas também recomendam atenção: observe se a pessoa tem todos os dentes ou se eles estão amarelados e/ou escurecidos. Se uma das repostas for sim, faça a fila andar e chame o próximo.

Sífilis
A sífilis pode ser transmitida pelo beijo, se a outra pessoa estiver contaminada e tiver alguma ferida na boca. A forma mais comum de contágio, no entanto, é a sexual. A doença é causada por uma bactéria chamada treponema pallidum e pode aparecer em diferentes partes do corpo e levar até uma semana após o contágio para aparecer.

NÃO PEGA

Aids
Não existe nenhum caso registrado na literatura médica de contágio pelo beijo. Suor, lágrimas, usar o mesmo sabonete, talher ou copo também não transmitem aids. No entanto, não deixe de usar camisinha se decidir ir além dos beijos e carícias. Não se esqueça que existem mais de 474 mil pessoas contaminadas pelo vírus no País, segundo Ministério da Saúde.

Hepatite C
As associações médicas internacionais não consideram o beijo como uma forma de transmissão da doença, assim como o Ministério da Saúde do País. É possível pegar hepatite tendo contato com o sangue contaminado ou em relações sexuais sem o uso da camisinha. A hepatite C é causada pelo vírus HCV e, em geral, os sintomas levam até 10 anos para se manifestar. Muitas pessoas descobrem que têm a doença ao realizar um exame de sangue de rotina.

Fontes consultadas: Adriano Silva de Oliveira, presidente da Sociedade Baiana de Infectologia; Amaury Mendes Junior, ginecologista e terapeuta sexual; Osíris Klamas, presidente da regional do Paraná da Associação Brasileira de Dentistas

Read Full Post »

por Fernanda Cavassana

Está sendo divulgado na rede um vídeo com o depoimento de Ana Maria Menezes. Ela teve sua quimioterapia interrompida após a Unimed Londrina se negar (no dia 21/11/09) a continuar pagando seu tratamento.

Graças ao vídeo de manifesto da paciente, o caso ganha o conhecimento de muitos e reforça a pergunta feita por Ana Menezes no vídeo:

Se o plano de saúde não cobre, então para que plano de saúde?

Em breve, teremos mais informações do caso. Aguarde.

Read Full Post »

por Vitor Oshiro

Apesar do título, não estamos falando da lentidão da Prefeitura em pagar os médicos, mas da notícia que saiu ontem no Jornal de Londrina sobre o crescimento da infestação de caramujos africanos na cidade. Quem encontrar o problema deve ligar para a Vigilância Sanitária no telefone 3376-1981.

Mas, a questão não é recente. Confira uma matéria que eu fiz há mais de dois anos (01/04/07) para o Jornal Online da UEL, Conexão Ciência. (Vale lembrar que os cargos citados na reportagem são daquela época). A edição é de Ludmilla Andrade.

Caramujos africanos: um desequilíbrio

Recentemente, houve uma infestação de caramujos africanos em Londrina. O molusco terrestre de nome científico Achatina fulica apareceu em diversos bairros da cidade e preocupou a Secretária Municipal de Saúde. Contudo, ao tomar conhecimento do problema, muitas questões devem ser abordadas, inclusive a participação humana neste desequilíbrio.

A Profª. Sirlei Bennemann, doutora na área de Ecologia e Recursos Naturais, disse que os caramujos são originários da África e foram trazidos ao Brasil na década de 80 para serem criados em cativeiros e substituir o escargot, de nome científico Helix aspersa. Como a espécie foi introduzida de forma ilegal, não se sabia os inúmeros malefícios que ela traria à saúde e, conseqüentemente, a total inviabilidade de seu consumo. A tentativa de substituição visava um lucro na indústria alimentícia, pois o caramujo africano é maior que o escargot.

(mais…)

Read Full Post »

por Vitor Oshiro

Você está andando feliz, ouvindo a nova música do NxZero e segurando sua mochila para não ser roubado quando, de repente, sente um cheiro péssimo. Você olha para o rapaz que está comendo um cachorro quente ao seu lado e balança a cabeça como sinal de desaprovação. Mas, o coitado não tem a menor culpa.

O que ocorreu é que você está perto do Bosque Central de Londrina: um lugar com idosos, muros pichados e muita, mas MUITA, titica de pomba. E isto não vem de hoje e nem é exclusivo do Bosque Central.

No meu primeiro ano em Londrina (há quase quatro anos), fui à Praça Rocha Pombo (o nome não é coincidência) e lá as pombas parecem galinhas caipiras, que nem mesmo se assustam quando passamos perto. As amargosinhas apenas olham pra gente e continuam fazendo aquele barulhinho agradável (ponto de ironia).

Longe da simbologia da paz que carregam, em Londrina, as pombas causam medo e são consideradas uma praga. E o que a Prefeitura de Londrina está fazendo sobre isso? A  Secretária de Meio Ambiente (Sema) está esperando o aval do Ibama para executar um projeto de extermínio em cerca de 50 mil das ditas cujas.

Apesar de ser um grande defensor dos animais, acredito que o Ibama liberará a ação e que é a coisa certa a se fazer. Não pelo cheiro, não pelo chão sujo e nem pelo tamanho das pombas (que são capazes de devorar um poodle – ponto de exagero), mas por arriscar a saúde do londrinense. Parece que está aberta a temporada da caça às pombas, minha gente! (ponto de metáfora, já que tudo será feito de modo controlado e ninguém poderá sair com uma espingarda ou uma zarabatana matando as pombas…)

 

E você? O que achou do projeto? Tem alguma outra idéia? Comente que o Londripost está ansioso para saber a sua opinião!

Read Full Post »