Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘humilhação’

Por Fernanda Cavassana

Acabou de sair no site de notícias da universidade, hoje foi oficialmente lançada a Campanha Nacional de Prevenção ao Trote Violento.

“Este ano, a novidade é a criação de uma página que está, a partir de hoje, disponível no site (www.uel.br/prograd) onde consta a legislação da Universidade sobre o trote, pareceres jurídicos referente aos limites físicos de atuação da UEL e as comissões de cada Centro de Estudo com os respectivos telefones para contato. E, posteriormente, a programação de recepçuniversitários.”

Segundo a matéria, a UEL promete ser rigorosa e punirá quem não seguir as regras contra o trote violento.

O que deve haver é um consenso para decidir o que é humilhação, e o que não é! Besteira é acreditar que não haverão ingressantes pintados e sujos de farovoinha na rua. É uma festa, uma tradição. Os calouros até gostam e se divertem com essas brincadeiras, é como se fosse uma ação necessária para selar o ingresso no Ensino Superior. Eu compararia a um batizado.

Nós do Lodripost somos universitários, estudantes de jornalismo. Em nosso curso, ano passado – meu primeiro ano como veterana, recebemos instruções de como proceder na recepção dos ingressantes. Passaram uma lista de coisas que haviam sido proibidas dentro do campus da UEL. Entre elas, qualquer ação que a universidade julgasse humilhação ao calouro, tintas, cortes de cabelo, assim como fazer com que eles andem pelo campus com objetos. Foi uma tristeza, as tintas já estavam compradas e microfones gigantes preparados para serem levados para passear pelo menos por um mês na universidade. Com isso, apenas fomos para uma sala, fizemos algumas brincadeiras com bexigas (é, bexigas!) e eles se apresentaram diante das câmeras para nós. Cada veterano batizou um calouro, foi bem simples, e, acreditem, deu pra todos se divertirem. Mas as tintas estavam compradas…

(mais…)

Read Full Post »

por Vitor Oshiro

Fonte R7

Read Full Post »

por Vitor Oshiro

Segundo o Portal Comunique-se, o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo (Siemaco) entrará com uma ação civil pública contra o jornalista Boris Casoy. O motivo da ação foram as declarações ofensivas que o jornalista fez sobre os garis em um vazamento de aúdio. Veja o vídeo da declaração e do pedido de desculpas AQUI.

Em uma nota oficial no site do sindicato, a entidade também criticou o desmerecimento dado ao trabalho dos garis. “Lamentavelmente Casoy demonstrou não dar valor ao importante serviço prestado por nossos trabalhadores, humilhando-os publicamente. Ele esqueceu-se que limpeza significa saúde pública e, se nossos ‘lixeiros no alto de suas vassouras’ não cuidassem da nossa cidade, certamente viveríamos no caos. Com certeza, podemos viver sem notícias, mas não sem limpeza“, diz a nota.

Read Full Post »