Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Once’

Por Beto Carlomagno

Apenas Uma Vez (Once, 2006)

 

Nesse fim de semana resolvi que vou ver todos os filmes que o livro 1001 Filmes Para Ver Antes de Morrer indica, ou pelo menos tentar, leve o tempo que levar. Olhando a lista, fui marcando os que eu já havia visto e me deparei com o filme tema desse post na lista. Como eu o tinha em casa resolvi ver ontem mesmo, e, ao final, a única pergunta que me vinha à cabeça era: “porque demorei tanto para ver esse filme?”.

Apenas Uma Vez, um pequeno filme Irlandês de 2006, acompanha um homem (Glen Hansard), que trabalha com o pai em uma loja de aspiradores e, no seu tempo livre, toca na rua a troco de pequenas quantias que recebe dos transeuntes; e uma mulher tcheca (Markéta Irglová), que vive em Dublin, e vende rosas nas ruas para sustentar a família. Além disso, ela é uma pianista que, sem condições para ter seu próprio piano, toca durantes seus intervalos para o almoço em uma loja de instrumentos. A paixão pela música aproxima os dois e o tempo – e insistência dela – faz com que criem um forte laço de amizade e até romance, além de uma parceria musical.

A história não é rebuscada e nem cheia de reviravoltas. É um roteiro simples, porém bem escrito, que é conduzido com maestria pelo diretor John Carney e que se transforma em uma das mais belas histórias já contadas no cinema graças às belas músicas que conduzem o filme. Apenas Uma Vez pode ser considerado um musical, mas não divide em nada o histerismo e a cara de superprodução que a maioria do gênero apresenta. Em alguns momentos o filme se aproxima do tom documental, fazendo com que pareça quase um pequeno documentário feito durante a gravação de um álbum ou de uma turnê. O diretor e o diretor de fotografia se valem da câmera na mão durante toda a produção para criam uma proximidade do espectador com o filme, tornando quase íntimo. O filme é praticamente um registro caseiro da rotina dessas duas figuras interessantíssimas.

Apenas Uma Vez ganha sua audiência já logo na primeira cena, mostrando a incrível habilidade do protagonista com seu violão e sua incrível voz. E não dá para não falar das belas letras compostas para o filme. As canções falam sobre amor e decepção de uma forma bela e comovente. Desafio qualquer pessoa a não se emocionar com esse filme. E a produção só ganha com o fato dos protagonistas serem os verdadeiros compositores e cantores. O filme levou o Oscar em 2008 de melhor canção para a música Falling Slowly, sem dúvidas a mais bela do filme e que acompanha um dos mais tocantes momentos da produção. A dupla também tem feito shows como parte da promoção de um álbum lançado pelos dois na época do filme, The Swell Season. Eles passaram pelo Brasil agora em agosto, com pequenos shows em São Paulo e no Rio.

 

p.s. Esse post foi escrito ao som da ótima trilha sonora do filme que inclui todas as belas músicas cantadas pela dupla na produção. Fica a dica, veja o filme e ouça a trilha.

Read Full Post »