Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘orkut’

por Lígia Zampar

Uma brincadeira rolou solta nos orkuts da vida essa semana. Nas páginas iniciais das meninas a frase do”defina seu status aqui” sempre continha lugares, e às vezes bem incomuns.

A imaginação dos meninos foi longe. Mas a intenção da brincadeira era deixá-los curiosos, o que conseguimos porque isso se tornou assunto!

Já que a brincadeira acabou, vamos mostrar a verdadeira frase que as meninas receberam, afim de acabar com qualquer pecuinha alheia…

“Os homens passaram dias batendo com a cabeça nas paredes, tentando descobrir porque todas as mulheres tinham postado uma cor no seu mural, do FaceBook…. na verdade, elas combinaram de colocar a cor do soutien… e foi um sucesso! Bem, este jogo tem haver com a sua BOLSA… onde vc a larga assim q chega em casa??? Por exemplo: “no sofá”, “na cozinha”, “na cama”, etc… Vcs já podem imaginar o q vai passar por aquelas cabecinhas masculinas, neh… Coloque a sua resposta no status do seu orkut! Depois copie e cole este depoimento para todas as meninas que voce conhece =) Não conte pra nenhum homeemm! O jogo do soutien chegou às notícias, vamos ver, o que vai acontecer com este aqui…”

Bom, conseguimos! Virou notícia!

Read Full Post »

Título mais comercial é impossível, mas o conteúdo do recomendamos de hoje, de alguma forma, vai ajudar no upgrade da sua carreira e pode até mesmo te proporcionar uma promoção.

As redes sociais tem tomado conta da internet e, nesse contexto, sites especializados em namoros, animais, seriados, vídeos e muito mais, se expandiram de tal forma que, ficar de fora é um pecado.

Os sites LinkedIn e Plaxo podem ser chamados — na minha opinião — de orkut e facebook dos negócios. Isso porque ambos se baseiam na troca de informações e experiências para um objetivo: aumentar a possibilidade de negócios e empregos.

Tanto o LinkedIn, quanto o Plaxo, possuem uma estrutura bonita e permitem integração com sistemas externos, como por exemplo twitter, wordpress e flickr.

A grande idéia disso tudo é que ao invés de preencher “paixões”, “comidas”, “lugar ideal para o primeiro encontro” e essas coisas mais “pessoais”, os dados que esses sites ajudam a divulgar são de formação, área de trabalho, experiências profissionais, oportunidades de emprego. Grupos — como companhias e empresas — ajudam a verificar oportunidades, tanto para quem procura profissionais de uma área, quanto pessoas que procuram um lugar específico para trabalhar.

O LinkedIn ganhou sua versão em portugês há pouco tempo, mas tem muito potencial para projetos ambiciosos. Vale lembrar que ambos os sistemas não são agências de emprego, mas sim Redes Sociais para Profissionais, para troca de experiências e oportunidades.

Aqueles que tiverem interesse em conhecer um pouco mais esse tipo de rede, pode criar uma conta facilmente nos sites LinkedIn e Plaxo. Recomendo criarem conta nos dois e, caso tenham preferência por um deles, deletar a outra conta. Acontece que eles são como Orkut e Facebook, fazem a mesma coisa só que de maneira diferente.

Read Full Post »

por Lígia Zampar

E você que achava que a educação no Brasil estava prosperando…Que a inclusão digital era mais uma forma das pessoas aprenderem… (CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR)

Tirado do Não Salvo!

Mais?Aqui!

Read Full Post »

Por Clarissa Raposo (UFMA-MA)
Mariana Dourado (UNESP-SP)
Patrícia Neves (UFRB – BA)
Luísa Barwinski (UP-PR)

“A preguiça mata? Morri!”, “Me chama de telescópio que eu te faço ver
estrelas”, “Meu televisor não tem filhos, ele é estéreo” são só alguns
exemplos das comunidades mais bizarras do Orkut. Hoje, esses espaços
de debate e troca de informações têm perdido essa utilidade “sisuda”
para dar lugar às gargalhadas. Os títulos bizarros, inusitados,
fizeram a fama destas comunidades que contam, na maior parte dos
casos, com a participação de mais de 150 mil membros.

Em pesquisa feita pela reportagem, percebemos que a maioria dos
usuários se torna membro de comunidades que não acessam nem mesmo uma vez no mês. Daniela de Oliveira, da Universidade Federal de Sergipe
(UFS-SE), conta que das comunidades que participa, a mais engraçada é
a “Vamos rir enquanto tem dente”, mas admite que seja perda de tempo.

Vivían Aguiar, da Faculdade Anísio Teixeira (FAT-BA), citou como
bizarra a comunidade “Endãããã… I ammmmm… Ai iu loveis you”, que
faz alusão a música de Whitney Huston, I Will Always Love you. Ela
acha que, de qualquer maneira, essas comunidades são um meio de
diversão dentro do Orkut. Já para Monique Garcez, da Universidade
Federal de Sergipe (UFS-SE), essas comunidades servem mesmo para
agregar em grupo um bom número de pessoas. E foi o que conseguiu fazer
Carol Corrêia, quando criou “Eu amo o Seth de The O. C.”, que já
contou com mais de mil membros e hoje possui 715.

Embora sejam engraçadas, estes espaços perdem a verdadeira
característica de comunidade, uma vez que não promovem discussões e
troca de informações entre seus participantes. Fernanda Azzolini, por
exemplo, utiliza a rede para facilitar sua vida, “eu vou pra casa todo
fim de semana por meio da comunidade Carona em Bauru”, conta. Uma
demonstração de que mesmo que não envolva assuntos sérios, a interação
é vital.

Twitter: Comunidades do Orkut divertem com títulos bizarros e inusitados, mas perdem em interação, deixando de lado a troca de informações

Read Full Post »