Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Steve Carell’

Se tem um nome para se prestar atenção atualmente em Hollywood, esse é o de Ryan Gosling. O ator, que começou no Clube do Mickey ainda criança, se tornou nesse ano o queridinho do público e dos cineastas, que, ao contrário da crítica que já o elogiava há muito tempo, percebeu o grande ator que Gosling é e como ele consegue se encaixar nos mais diversos papéis. Ryan Gosling, para quem não sabe, é o protagonista de Diário de uma Paixão, filme de 2004 que é um dos melhores romances que o cinema contemporâneo já produziu e que serviu para colocá-lo em destaque. E se prepare para ver muito Ryan Gosling nas telas nos próximos anos. Estreando ainda esse ano ele tem Drive, drama elogiadíssimo que saiu com o prêmio de melhor direção em Cannes;  e The Ides of March, filme em que ele divide as atenções com George Clooney, que também é o responsável pela direção. Sem contar que ele já tem mais dois filmes encaminhados para 2012 e um para 2013, por enquanto. Toda essa introdução para chegar ao filme da Sessão de Domingo dessa semana: Amor a Toda Prova (Crazy, Stupid, Love, 2011), filme estrelado por Ryan Gosling que finalmente chega aos cinemas Londrinenses, depois de um mês de sua estreia no Brasil.

Amor a Toda Prova é o segundo filme da carreira dos diretores Glenn FicarraJohn Requa, cujo primeiro filme foi outra excelente comédia dramática, I Love You Phillip Morris (intitulada porcamente como O Golpista do Ano aqui no Brasil), que foi estrelada por Jim Carrey, Ewan McGregor e Rodrigo Santoro. A nova produção, que é mais uma comédia dramática romântica, conta a história de um casal, Cal (Steve Carell) e Emily (Julianne Moore), cujo casamento chega ao fim, depois de muitos anos, quando Emily assume ter traído o marido. Mas, mesmo com a traição, a “culpa” pelo final do casamento é a acomodação dos personagens. Eles já não sentem mais aquela paixão, se amam ainda, mas aquela chama que faz as coisas serem mais interessantes se apagou. Acabado com a separação, Cal encontra em Jacob (Ryan Gosling) um mentor para uma mudança em sua vida. Jacob é o típico garanhão cheio de estilo que sabe os movimentos e as falas perfeitas para pegar a mulher que quiser, e é isso que ele vai passar para Cal.

O grande destaque de Amor a Toda Prova é seu elenco composto por Steve Carell, Ryan Gosling, Julianne Moore, Emma Stone, Kevin Bacon e Marisa Tomei (essa é a mais fraquinha de todos, mas não que isso comprometa o resultado final). Além de serem nomes do sonho de qualquer diretor, cada um deles se encaixa perfeitamente ao seu papel. Carell, que também produziu o longa, consegue passar perfeitamente aquele ar de fracassado que caracteriza seu personagem no começo do filme, assim como deixa transparecer todas as mudanças pelas quais sofre depois da transformação feita nele pelo personagem de Gosling. Por falar em Gosling, sua construção de seu personagem é perfeita. Seu Jacob transpira confiança e estilo e é o tipo de cara que qualquer um gostaria de ser. Ele tem estilo até comendo uma fatia de pizza na mão. Julianne Moore, como sempre, entrega uma interpretação primorosa como a esposa frustrada e em crise com seu casamento, além de ter uma química surpreendente com o personagem de Carell. Já Emma Stone, como venho dizendo sempre, é uma das maiores revelações do humor, sempre entregando boas interpretações e fazendo como ninguém uma personagem sarcástica e divertida. Não dá para não falar dos dois atores mirins Jonah BoboJoey King, que interpretam os filhos do casal Cal e Emily. Excelentes, eles roubam as cenas em que estão presentes.

O roteiro de Dan Fogelman é outra preciosidade do filme. Mesmo mesclando diversos gêneros como comédia, romance e drama, ele consegue perfeitamente criar uma linha de história sem tropeços, inteligente, com discussões pertinentes em relação aos assuntos propostos e que ainda ironiza alguns clichês do gênero. Achei genial a cena da chuva por exemplo. Como em todo filme, naquele momento da virada, o personagem de Carell se encontra no meio da rua, depois de discutir com a persongem de Moore, e começa a chover. Eu instantaneamente pensei, “meu Deus, sério que vocês vão fazer isso?”. Mas, sem me dar tempo para me decepcionar, o personagem de Carell dispara: “What a cliché”.

Enfim, Amor a Toda Prova pode não ter a ousadia do primeiro filme de Ficarra e Requa, mas ele nem precisou para se tornar uma das melhores comédias dramáticas já feitas e um dos melhores filmes do ano. É um daqueles que te faz sair do cinema pensando na vida, nas escolhas e com um grande sorriso no rosto. Confira o trailer abaixo:

Serviço:
Programação do filme Amor a Toda Prova em Londrina
Classificação: 12 anos

Local: Cine Araújo, Catuaí Shopping
Programação:
Sala 2, de 30/09 a 06/10
Legendado
Diariamente 16:00 / 18:15 / 20:30

Local: Cinemas Lumière, Royal Plaza Shopping
Programação:
Sala 2, de 30/09 a 06/10
Legendado
Diariamente 19:10 / 21:30

Read Full Post »

Por Beto Carlomagno

Uma Noite Fora de Série (Date Night)

Vou confessar, adoro o Steve Carell e seu estilo de humor. Desde que despontou para o mundo em Todo Poderoso ele se tornou um dos meus favoritos e um chamariz para alguns filmes. Outra confissão: também adoro a Tina Fey. A atriz que durante muito tempo foi a cara do programa Saturday Night Live e agora está no ótimo 30 Rock, uma das séries de humor mais premiadas dos últimos tempos, tem um humor que faz rir nas pequenas coisas, nos pequenos gestos e, além disso, é altamente nerd, o que me faz gostar ainda mais dela. Os dois estão juntos na comédia Uma Noite Fora de Série (Date Night, título original que usarei durante o texto, esqueça o péssimo título nacional), que está em cartaz desde a última sexta-feira em Londrina.
Carell e Fey interpretam um casal, Phil e Claire Foster, que, após anos de casamento, percebe que estão em uma rotina massacrante. Após um casal de amigos anunciarem que estão se divorciando, eles decidem que na próxima noite fora eles vão fazer algo novo e tentar reacender a chama do casamento. Aqui começam os problemas. Phil decide levar Claire para uma noite na grande cidade, Nova York, e para um jantar em um dos mais famosos restaurantes. Quando chegam lá, sem terem feito reserva, são mandados pela recepcionista para o bar para aguardar. Lá no bar, quase desistindo, eles ouvem um casal ser chamado, os Triplehorn, que parece não estar ali. Quando a atendente está quase desistindo eles resolvem assumir o lugar do casal. No meio do jantar, quando tudo parece estar correndo muito bem e eles estão se divertindo muito, dois homens os abordam e pedem para que eles os acompanhem. Achando que a farsa do restaurante foi descoberta e que os dois homens são funcionários de lá, eles os acompanham até os fundos do prédio. Nesse momento eles descobrem que os dois homens são capangas de um grande bandido da cidade e que os tais Triplehorn estão chantageando o chefe deles. Nesse momento, começa o inferno na noite dos dois.
O filme usa alguma das fórmulas mais conhecidas do mundo do cinema. Temos o casal no lugar errado, na hora errada, os acontecimentos acontecem todos em uma noite e a sucessão de coincidências chega a ser inacreditável em alguns momentos. Mas, o que importa aqui é criar situações para que Steve Carell e Tina Fey possam nos divertir, e isso, o diretor Shawn Levy (o mesmo de Uma Noite No Museu 1 e 2), faz o tempo todo. Uma coisa boa no filme é o fato de que algumas piadas são realmente inesperadas, ou pelo menos foram para mim. Às vezes, algumas piadas são até que batidas, conhecidas, mas ao ser utilizada em certo momento do filme que eu não estava esperando por ela, o riso era causado imediatamente. O diretor também cria algumas cenas de ação bem competentes e insere o humor tornando-as mais leves e divertidas.
Mas, sem dúvida nenhuma, o grande destaque de Date Night é o casal principal, a química entre eles é realmente gostosa de se ver. Além disso, o elenco ainda conta com grandes participações (no quesito fama do seu intérprete). Mark Wahlberg (Um Olhar do Paraíso) aparece como o descamisado “amigo” de Claire que trabalha com inteligência e segurança, os verdadeiros Triplehorns são interpretados por James Franco (Milk e da série de filmes do Homem-Aranha) e Mila Kunis (da série de TV That 70’s Show e de O Livro de Eli). Mark Ruffalo (Ilha do Medo) é o amigo que está se divorciando, Leighton Meester (a Blair de Gossip Girl) faz a babá que cuida dos filhos de Phil e Claire e Taraji P. Henson (O Curioso Caso de Benjamin Button) faz a policial que investiga o caso. Entre todas essas participações o grande destaque vai para um pouco conhecido do público brasileiro, o comediante J.B. Smoove. O ator interpreta um motorista de taxi totalmente histérico que está em uma das melhores cenas do filme, senão a mais engraçada.
Não é tão bom quanto Zumbilândia que indiquei semana passada, mas, sem dúvida, é um filme que merece ser visto se você está afim de uma boa comédia para passar o tempo e se divertir. Quer um conselho?! Veja os dois.
*Beto Carlomagno é estudante do terceiro ano de jornalismo e assina um blog sobre cinema.

Read Full Post »